O NFC ou Near Field Communication (Comunicação de Campo Próximo) é uma tecnologia que é baseada nos padrões do RFID ou Radio-frequency identification (Identificação por radiofrequência). O objetivo é permitir comunicações e transações a curta distância entre os celulares e outros aparelhos de maneira prática e rápida.

A tecnologia não é tão recente, vem sendo desenvolvida desde 2004, porém os esforços das grandes empresas para introduzi-la no mercado vem ocorrendo a partir de 2010. Google e Samsung encabeçam a lista como as principais empresas a investirem no NFC.

O Google tem um sistema de pagamento móvel chamado Google Wallet e desde cedo procurou capacitar o Android à tecnologia. Apesar de a Nokia ter sido a primeira a desenvolver um celular com NFC em 2006, a Samsung é a empresa que vem trazendo a tecnologia de maneira mais abrangente para o mercado. Mais recentemente a Samsung introduziu no Galaxy S III os TecTiles, chamando bastante a atenção para o NFC e mudando um pouco o paradigma do uso do NFC sempre estar relacionado a pagamentos móveis.

Os TecTiles basicamente são etiquetas programáveis para interagir com o celular fazendo o aparelho realizar algumas ações apenas por uma aproximação entre ambos. Por exemplo, uma etiqueta pode ser programada para cada vez que um celular for colocado próximo a ela, um check-in seja realizado no Foursquare no local que o usuário estiver no momento.

As possibilidades são muitas: abrir um aplicativo, conectar a uma rede wi-fi, exibir uma mensagem, fazer uma ligação, enviar uma mensagem de texto, iniciar uma conversação de voz por apps, compartilhar um contato ou cartão comercial, exibir um endereço no mapa, abrir um site, fazer check-in no Foursquare ou Facebook, dar um like ou atualizar status no Facebook, tuitar ou seguir um contato no Tiwtter, conectar ao LinkedIn, entre outros. Tudo isso simplesmente passando o aparelho próximo a uma etiqueta colada a algum lugar.

O NFC também será colocado à prova nas olimpíadas de Londres este ano. Cada atleta receberá um Samsung Galaxy S III para testar o novo sistema de pagamento móvel da Visa o PayWave.

O Google Wallet simplesmente não engrenou. Dependendo muito da adoção das operadoras móveis e com pouco interesse aparente do Google em ajudar, o sistema nos Estados Unidos só está presente para os usuários da operadora Sprint. As maiores operadoras como AT&T, Verizon e T-Mobile decidiram criar um sistema próprio chamado de ISIS, que está demorando bastante para ficar pronto e mesmo quando ficar, terá algumas limitações.

A Apple também não vem colaborando muito com a tecnologia, pelo contrário. Decidiu por não coloca-la no iPhone 4S e a presença do NFC no iPhone 5 ainda está restrito a rumores.

Outro ponto fraco do NFC é o desinteresse dos comerciantes que não vêm vantagem em aderir aos pagamentos móveis por enquanto. Questões como vulnerabilidades e roubos de cartões de crédito ainda são uma preocupação justificada. Não muito tempo atrás o Android apresentava falhas na tecnologia que permitiam aos hackers explorar vulnerabilidades a fim de ter acesso aos dados de pagamento dos usuários. A falha foi corrigida, mas o sistema não está imune a outras.

E para finalizar, havia o interesse de implementar o sistema nos transportes de Londres para as olimpíadas, mas já foi constatado que seria inviável pela lentidão do sistema. De acordo com os testes o processamento de uma transação do NFC demora 500 milissegundos enquanto que para poder ser adotada com esse fim o tempo de resposta da tecnologia teria de ser menor que 300 milissegundos.

O NFC têm muitos desafios pela frente, mas sua adoção já se mostra bastante interessante em tecnologias como o TecTiles. Assim que outros fabricantes começarem a abraçar o NFC poderemos ver no futuro aplicativos móveis cada vez mais integrados com o nosso dia a dia.