A briga pelo mercado de tablets está cada vez mais acirrada. Já vimos que até 2016 os tablets devem superar os notebooks nas vendas. Em vista dessas previsões, as principais empresas estão tentando abocanhar uma fatia desse mercado.

O Google recentemente lançou o Nexus 7, que teve os estoques de venda esgotados logo na primeira semana. Apesar desse grande estouro nas vendas, há controvérsias se o Nexus 7 a longo prazo realmente será benéfico para o Google.

A Apple para não ficar para trás, também visualizou oportunidade no mercado de tablets de 7 a 8 polegadas e anunciou que lançará uma versão menor do iPad, apelidada de iPad Mini, que deve ter sua produção no Brasil.

A Amazon, que já havia anunciado que entrará no mercado de smartphones lançando seu próprio aparelho, e aproveitando o sucesso do predecessor Kindle Fire, anunciou que irá lançar até o final deste ano cinco ou seis novos tablets em diferentes tamanhos.

Podemos assumir que os tablets não serão necessariamente todos de modelos diferentes, mas foi dito que um deles terá 10 polegadas. A jogada é a mesma da Google e que vem dando certo: investir em tablets e smartphones com preços acessíveis para os consumidores (quase a preço de custo) a fim de posteriormente tirar o lucro com o consumo digital nas lojas virtuais das empresas.

Esse modelo parece que veio pra ficar, quem perde são os fabricantes como a Samsung, que tem os seus lucros provenientes diretamente da venda dos aparelhos, sendo prejudicada por essa grande concorrência de preços baixos. Mas não se engane, a Samsung já está mudando a sua estratégia e avisou que em meados de agosto anunciará uma “surpresa”.

Fonte: Reuters